Cenário & Pessoas Quest #1 Etapa de observação de pessoas e suas atividades, na busca de questões reais e concretas onde a inovação seja necessária

Levantamento "in loco" das atividades realizadas por diversos tipos de pessoas em algum espaço de sua escolha. Você deve procurar observar e descrever o próprio espaço, o que há nele, o que as pessoas fazem e/ou se desempenham alguma obrigação naquele lugar.

Suas observações ajudarão a identificação de alguma questão, ou ajudarão a encontrar um foco de interesse em algum grupo ou problema para que vários dos projetos de inovação que serão desenvolvidos possam ser direcionados.


Atenção

O intuito desta quest não é definir seu projeto. Não tente encontrar nesta primeira observação o que você fará como inovação. Ele é apenas um levantamento preliminar de contextos e questões presentes concretamente (e não fruto de suposições), que, em conjunto a todas as outras observações feitas por outras equipes, ajudarão a encontrar assuntos e/ou públicos para serem aprofundados.

Ao final, procure categorizar / classificar / qualificar aquilo que mais chamou sua atenção, e entender onde esta questão se enquadra dentro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.


Preparação
Quais são os seus interesses pessoais? Em que espaços/lugares você verá estes interesses acontecendo?

AeroportoCemitérioAmbulância
FrigoríficoFeiraCinema
Ponto de taxiAcademiaNavio
FábricaRodoviáriaBanca de jornal

Quando é interessante ir neste local?
Ex: ir no Ceasa no meio da tarde é um bom momento?

Porque este lugar é interessante?
Ex: numa rave eu vou encontrar muita gente que vai curtir a balada, mas vou encontrar técnicos de iluminação, sonorização, produtores de evento, etc., e as questões que eles enfrentam, ou as coisas que amam fazer.
(Se você quer que outros colegas embarquem com você em um projeto nesta temática, é necessário mostrar o que há de interessante ali, e que isso valeria à pena).


Dica

Se você se gostaria de criar um projeto para inovar com atividades esportivas, visite um local onde você encontre pessoas desempenhando estas atividades, como um ginásio, por exemplo; se for possível, tente visitar um lugar onde várias pessoas e atividades são desempenhadas em torno daquilo que lhe interessa, como, por exemplo, um clube ou campo de futebol no dia de treinamento de um time, onde será possível observar tanto os jogadores quanto treinadores, técnicos, assistentes, imprensa, ou mesmo um grupo pequeno de torcedores aficcionados por seu time.


Descrever

1. Qual espaço foi observado?
Ex: Parque da Jaqueira

2. Quais as características deste espaço? (ele é privado? é aberto ou fechado? quantas pessoas circulam neste espaço?)
Ex: natureza pública, de grande circulação e densidade de pessoas.

3. Quais são os contrastes presentes (o que há demais ali, e o que está em falta)?
Ex: há muitos policiais e muitos funcionários presentes, mas quase não vimos animais.

4. Quem frequenta este espaço? Quem são estas pessoas? O que elas fazem lá?
Ex: crianças, pessoas praticando esportes, vendedores, personal trainers, pesquisadores do ibope, pessoas idosas, ciclistas, guardas, funcionários do parque.

5. O que você não viu lá (mas esperava ver)?
Ex: indigentes e equipamentos depredados.

Depois de realizar este levantamento, você deverá construir Personas (personagens genéricos que representam bem cada grupo observado) que auxiliam o entendimento das características destes grupos (nome, idade, gênero, classe social, papel ou relação com aquele espaço, gostos, interesses, valores, personalidade, etc.); apontar o que mais chamou a atenção naquele lugar; e o que acredita serem as questões mais importantes a serem tratadas ali.
Ex: Jorge, 53 anos.
Mora próximo ao parque e usa o espaço regularmente para se exercitar. Tem 3 filhos, trabalha meio período e adora comer o abacaxi na saída do parque.


Modelo de apresentação da Quest #1
goo.gl/XpT013L



Técnicas e ferramentas aplicadas de forma remota

Muitas vezes, como durante o período de pandemia, ou mesmo quando estamos trabalhando em equipes distribuidas, é necessário que estas ferramentas sejam aplicadas à distância. Abaixo algumas orientações de como trabalhar nesta modalidade com projetos de inovação:

Trabalhos de Referência


Pista de Corrida

Pista de corrida na avenida Beira Rio

Coleção de apresentações das atividades da Quest #1


Apresentações Quest #1

Apresentações de levantamentos preliminares sobre Cenários e Pessoas (Quest #1)

Perguntas Frequentes

Que locais devo ir? E quais devo evitar, para fazer as observações?

Não há lugares certos ou errados para serem observados, mas recomendamos que vocês evitem locais óbvios e que frequentam constantemente (como shoppings, praças de alimentação, salas de aula, laboratórios, etc.) porque tendemos a não enxergar o que está acontecendo ao nosso redor em espaços aos quais já estamos aconstumados e acreditamos conhecer bem. É mais fácil enxergar as questões presentes com clareza em locais que não conhecemos e sobre os quais não temos nenhuma presunção.

Devo definir uma persona para cada grupo que frequenta o espaço, ou apenas uma persona que é a mais observada no local?

Elabore personas para todos os grupos que você for capaz de identificar e enquadrar. Inicialmente você deve elaborar as personas mais relevantes observadas no local, e posteriormente complementar com personas menos visíveis ou facilmente identificáveis. Muitas vezes, a inovação nasce de observações que passariam desapercebidas.

Já temos um projeto de uma disciplina/atividade anterior. Podemos continuar com ele aqui?

Não. É preciso aprender a escutar e observar, e uma ideia pronta impediria isso.
Você pode até trazer algo interessante, mas precisará fazer todo o processo do início, mostrando evidências, identificando problemas reais e concretos da sociedade e demonstrando que se trata de algo relevante, que tem escala, etc.
A competência mais importante desenvolvida no curso é a capacidade de identificar problemas e resolvê-los. Ensinamos alunos a não serem reféns de soluções pré-definidas por seus clientes e se tornarem apenas a mão que executa uma ideia. É parte essencial desta metodologia que os alunos sejam capazes de achar os problemas.

Não me sinto motivado a desenvolver o trabalho. O tema não me interessa.

Ouvimos esta reclamação de alunos recorrentemente. Há questões muito sérias sobre isso que os estudantes precisam parar para refletir. A primeira delas diz respeito à forma como os alunos, atualmente, lidam com o aprendizado em si: aprender algo é uma atividade que demanda esforço, e raramente é agradável e divertida. Há uma tendência hoje de que os jovens abandonem muito facilmente quaisquer coisas que não lhes sejam agradáveis ou divertidas, e consequentemente, nos encontraremos em uma sociedade onde as pessoas não conseguirão desempenhar minimamente nenhuma atividade ou profissão, afinal, trabalhar, no geral, não é algo animado, divertido ou agradável, mas algo que precisa ser feito.
A real motivação para que você desenvolva o seu trabalho é passar pela experiência deste desenvolvimento, e aprender algo com ela. Os estudantes costumam ter bastante orgulho dos resultados que obtém ao final do processo, mas, realmente, estes resultados não deveriam ser a verdadeira força motivadora, pois, por melhores que sejam, estarão longe de um produto/solução madura e pronta para o mercado. Contudo, o aprendizado e a experiência, por mais árduos e desgastantes que tenham sido, permanecerão válidos e úteis por toda sua vida.
Quando se entende isso, mesmo um projeto cujo tema seja completamente sem graça, continua oferecendo oportunidade para o crescimento profissional e o aprendizado, e isto, por si só, deveria ser motivação suficiente para seu engajamento e comprometimento com ele.
O segundo ponto consideravelmente sério a se refletir é que, respeitando as diferentes maneiras como Projetão é conduzido pelos diferentes grupos de inovação, de forma geral, os temas são definidos pela atividade da Quest #1. Nesta Quest, os alunos costumam ir a campo para observar pessoas e espaços, de forma que os problemas a serem enfrentados são frutos de evidências concretas e de situações reais, apresentadas posteriormente ao grupo como um todo, para que os temas sejam votados e escolhidos. Isto significa que nenhum tema é imposto, e que são todos definidos de forma democrática. Se a temática não lhe agrada, há três situações possíveis: você não trouxe evidências e observações de algo realmente interessante a ser trabalhado, e teve que se contentar com aquilo que foi trazido por outros (que não lhe interessam); as evidências que você trouxe sobre algo que lhe agrada não são suficientemente fortes, ou relevantes, para os outros, e interessam somente a você ou a um pequeno grupo (dando um bom indicador que o tema não é realmente viável para a inovação); ou, enfim, você não deseja trabalhar em cima de um problema real e concreto, mas de algo que imagina ser possível/interessante, do qual não tem nenhuma evidência. Para qualquer um dos três cenários, a resposta é a mesma: se não há evidências de que se trata de algo relevante para a sociedade, não deve ser um caminho seguido. Este é um dos pontos críticos a serem aprendidos na dificil arte de projetar: não projetamos para nós mesmos; projetamos para os outros.

universidade
federal de pernambuco
instituto de educação
para inovação